Mieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015Água Kangen
Por Donato Heinen. Publicado em 16/04/2020

Notas e Apartes nº 1.349

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 15-4-20


Fatos – Contra fatos não há argumentos. Eles falam por si sós. O jornalista Bernardo Küster fez um levantamento minucioso da cronologia do COVID-19. Compilei alguns dados, que mostram o comportamento da China e da OMS sobre o tema. O vídeo pode ser visto em https://www.youtube.com/watch?v=yL1Y1uPNZQs. Todas as fontes são citadas no vídeo.

  Em 3-2-20, Xi Jinping, presidente da China, admitiu que em 7 de janeiro já sabia do problema do coronavírus; No mesmo dia 7, Comissão de Saúde de Wuhan, onde começou a doença, disse que não havia transmissão de humano para humano; O prefeito de Wuhan assumiu, em 27-1, a culpa pelo surto da doença e ofereceu sua renúncia ao cargo; Dia 14-1, a OMS deu eco às mentiras da China e disse que não havia transmissão entre humanos; Primeiro caso do novo coronavírus foi em 17-11-19; Somente em 22 de janeiro, X- Jinping, em discurso para o PCC, disse que solicitou à Província de Hubei (onde fica Wuhan) que efetuasse um controle rigoroso e abrangente sobre a saída de pessoal; A OMS nunca criticou isso, sendo conivente com os chineses; Estudo mostra que se a China tivesse agido três semanas antes, os casos de COVID-19 poderiam ter sido reduzidos em 95% no mundo; Em 23-1-20, o The New York Times noticiou que a OMS declarou que não se tratava de emergência mundial; No mesmo dia, autoridades chinesas forçaram cientistas do país, que descobriam o vírus ainda em dezembro, a destruir as provas. Puniu médicos que tentaram alertar sobre a doença. Até um multimilionário chinês que criticou as ações do governo desapareceu misteriosamente; Mesmo com o vírus se espalhando, a OMS não declarou situação de emergência; Em 24 de janeiro, começou a Festa do Ano Lunar Chinês. Durou até 2-2; Prefeito de Wuhan disse que cerca de 5 milhões de pessoas viajaram. Mesmo sabendo do problema, deixaram os chineses contaminarem o mundo inteiro; Diretor-geral da OMS, o etíope Tedros Adhanom, marxista declarado, visitou Xi Jinping, em 28 de janeiro, e elogiou o papel da China dizendo que os chineses deveriam cuidar deste problema em nível mundial; Elogiou a transparência da China em tratar dos dados da COVID-19, embora em 27-1 o prefeito de Wuhan tivesse admitido que mentiu sobre o surto de coronavírus; Dia 30-1, Tedros elogiou o trabalho da China como modelo para o mundo; Enquanto isso, chineses eram presos por divulgarem a existência do surto; Somente em 30-1, OMS declarou estado de emergência de saúde pública internacional; Tedros, em 3-2, disse que banir viagens não era necessário para combater o coronavírus; OMS usa o medo, a desinformação e a mentira para controlar as pessoas com o objetivo de implantar Sistema de Saúde Global; Só em 11-3, a OMS admitiu que se tratava de uma pandemia. A doença já estava em 114 países; Em 13-3, Tedros anunciou o método chinês: quarentena geral e fechamento de atividades, uma invenção chinesa; Já em 23-3, a OMS começou a combater a cloroquina; Vários estudos apontam que desde 2003 é um inibidor eficaz contra vírus (SARS e outros). Dezenas de outros estudos apontam isso; OMS recomendou em seu lugar a medicina tradicional chinesa (acupuntura e outras); Em 6-4, OMS diz que quarentena não funciona porque as pessoas agora estão sendo infectadas nas suas próprias casas... Donald Trump: “Eu disse que parece que eles (OMS) estão muito voltados para a China. Vamos congelar o dinheiro que enviamos à OMS. Eles estavam errados e têm errado sobre muitas coisas”; Ministro japonês chama a OMS de Organização Chinesa de Saúde; Processos nos EUA contra China pedem 4 e 20 trilhões de dólares em indenizações.

  Detratores - Um recado aos meus detratores, em especial aos esquerdistas, socialistas, comunistas, leninistas, stalinistas, maoístas, trotskistas, marxistas, alarmistas, catastrofistas, pessimistas, chauvinistas, hienas, demagogos em geral e gente de moral pequena. Atendendo pedido das autoridades de saúde, fiquei recluso em minha casa durante 14 dias, após voltar de viagem, sem qualquer sintoma. Aqueles que estavam sedentos para me apontar o dedo na rua me acusando de trazer a doença quebraram a cara.

  Donato Heinen

 
Representações BirckRepresentações Birck - 1 Filtros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck - 1 Representações Birck