Banner Tchê Milk - 14-10-22Supermercado Kramer - 8-2-23VALUPI Fitness AcademiaConstinta
Por Grande Santa Rosa Notícias. Publicado em 13/08/2023

Norte sempre contra o Sul

Por Ivar Hartmann


O governador Romeu Zema, de Minas Gerais, anunciou uma frente para o protagonismo do Sul-Sudeste e criticou o favorecimento do Norte e Nordeste na reforma tributária. Prontamente, o presidente do Senado, Rodrigues Pacheco, da mesma Minas Gerais, mas oriundo de Rondônia e que quer ser presidente do Brasil, atacou: Ele quer “cultivar a cultura da exclusão. Ao valoroso povo do Norte e Nordeste, dedico meu apreço e respeito. Somos um só país”. Segundo Zema, o Norte e Nordeste são “vaquinhas que produzem pouco”. Esta gente criou em 2019 o Consórcio Nordeste. O nome diz tudo: tem como função garantir o “protagonismo” da região na política nacional, com os dividendos econômicos que isso traz para eles. 

Diz Zema: “Temos 256 deputados – metade da Câmara – 70% da economia e 56% da população do país. Já decidimos que, além do protagonismo econômico que temos, nós queremos o que nunca tivemos, o protagonismo político. Ficou claro nessa reforma tributária que já começamos a mostrar nosso peso. Eles queriam colocar um conselho federativo com um voto por Estado. Nós queremos proporcional à população. Por que sete Estados em 27, iríamos aprovar o quê? Nada. O Norte e Nordeste é que mandariam. Aí, nós falamos que não. Pode ter o Conselho, mas proporcional. Se temos 56% da população, nós queremos ter peso equivalente”. 

O governo de Lula, natural de Pernambuco, reagiu com virulência. O ministro da Justiça, Flávio Dino, natural do Maranhão, o chamou de extrema-direita. O Consórcio do Nordeste acusou o governador mineiro de separatismo. Vejam a origem desta gente.  Os políticos do Norte-Nordeste não querem perder a “boquinha” dos impostos produzidos pelo Sul-Sudeste. Nossos parlamentares têm de reagir como Zema.  

Representações BirckFiltros Europa
Filtros EuropaRepresentações Birck