Banner Tchê Milk - 14-10-22Supermercado Kramer - 8-2-23VALUPI Fitness Academia
Por Donato Heinen. Publicado em 26/06/2024

Notas e Apartes 1.568

Coluna publicada em GSRN em 26-6-24

 

Queimadas – Entra ano, sai ano, e a história das queimadas na Amazônia e no Pantanal se repete. Consta que este ano as queimadas no Pantanal aumentaram mais de 1000%. Em 15-9-2020, Lula criticava o então presidente Jair Bolsonaro no Twitter. “Por que nossas Forças Armadas não estão com um grande contingente no Pantanal e na Amazônia para tentar combater os incêndios? Eles desmontaram todos os mecanismos de prevenção a incêndios. Esse ministro do Meio Ambiente é um cidadão sem caráter e sem respeito pela natureza”, publicou. Agora, na Presidência, Lula bem que poderia colocar em prática a sua sugestão de 2020. Mas é muita demagogia! Canalhice pura. 

Marina – Ministra do Meio Ambiente de Lula, Marina Silva escreveu na mesma época que “o governo (Bolsonaro) insiste em esconder o problema ambiental com propaganda mal feita, no lugar de resolvê-lo. A triste e revoltante realidade é que a Amazônia e o Pantanal estão em chamas. O que precisa ficar claro é que as queimadas (...) fazem parte de um projeto e de uma visão de mundo que despreza o meio ambiente”. Ontem, depois de semanas em silêncio, a ministra veio a público para dizer que os incêndios atuais no Pantanal são agravados pelos extremos climáticos e também por ações criminosas. “Toda a bacia do Pantanal está em escassez hídrica severa”, afirmou Marina. Ah, tá. Deve ser a primeira vez que temos uma seca severa no Pantanal. Uma demagogia sem limites. 

Causas – A jornalista Miriam Leitão, da Globo, escreveu em 22-8-19 que “o grande responsável pelas queimadas é o governo”. Já ontem, ela disse que “o incêndio no bioma tem diversas razões, todas ligadas ao desmatamento”. Durante o governo Bolsonaro, artistas da Globo e também de outros países teciam fortes críticas ao governo pelo desmatamento. Teve gente que, do alto da usa ignorância, viu até girafa sendo queimada na Amazônia. Agora, estão todos em silêncio. 

Drogas – Ontem, o Supremo formou maioria para descriminalizar o porte de drogas para o chamado “consumo pessoal”. É uma porta aberta para os traficantes dividirem a droga em porções menores, fugindo, assim, da punição. A decisão do STF é um tapa na cara da sociedade e do Parlamento, pois, segundo pesquisa recente, 61% da população é contra a liberação de todas as drogas. Além disso, está em fase final de tramitação a PEC 45, que considera crime a posse ou porte de qualquer quantidade de droga. Em grande parte, o Congresso também é culpado devido a demora na propositura e pela tramitação lenta da PEC. 

Pérola – Do alto de sua sapiência, o ministro do STF Dias Toffoli argumentou, na semana passada, que os ministros do Supremo estão lá legitimados por cerca de cem milhões de votos. Para chegar ao montante, ele disse que somou os votos do presidente da República – em torno de 60 milhões – e os dos senadores que aprovam a indicação dos ministros ao cargo pelo presidente. Genial! 

Fux – Um dos dois únicos ministros do STF que foi juiz de carreira, Luiz Fux disse, na sessão de ontem, que liberou o porte e uso de drogas: “Nós não somos juízes eleitos. O Brasil não tem governo de juízes. Num Estado Democrático, a instância maior é o Parlamento”. Enquanto isso, o chamado ativismo judicial cresce a cada dia com o Supremo interferindo nas competências dos outros poderes. 

Jogatina – Quem tem ou já teve algum familiar envolvido com jogos de azar deve conhecer bem esse drama. Com o intuito de arrecadar cada vez mais tributos, o governo federal trabalha pela legalização de jogos de azar no país. O setor de apostas esportivas, por exemplo, cresceu 734% desde 2021, segundo pesquisa recente. Apenas entre janeiro e abril deste ano, foram abertas 79 novas empresas neste ramo. Aliás, impressiona o volume de propagandas desse setor na TV paga, na Netflix e no YouTube, entre outras plataformas. 

Lavagem de dinheiro – O crime organizado avança em todos os setores. A chamada  lavagem de dinheiro – que consiste em dar ares de legalidade a recursos obtidos através da prática de ilícitos – terá novas alternativas através das casas de apostas. O crime organizado está tomando o comando do país. Cresce a olhos vistos em setores como a economia e a política. O que é muito preocupante. 

Jogo do tigrinho – Está se alastrando rapidamente o chamado jogo do tigrinho. Uma espécie de caça-níquel online, onde ganha quem alinhar figuras iguais. Propagandas fraudulentas invadiram as redes sociais, onde influenciadores digitais divulgam o jogo, mas usam uma conta falsa em suas demonstrações, iludindo os incautos com ganhos fáceis. Quando eles caem na realidade, já é tarde demais. Uma mulher de Maceió disse que seus familiares perderam cerca de 400 mil reais no tal jogo do tigrinho. 

                            Donato Heinen

Representações BirckFiltros Europa
Filtros EuropaRepresentações Birck