Magazine RennerMieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015Mieth MadeirasGigabyte - VIII EXPOAGRO - 11-3-19 - Banner 950X200 (GESSINGER)
Por Alberto Seibert. Publicado em 11/09/2017

Coluna do Beto

#

Sartori

Estamos no terceiro ano do governo de José Ivo Sartori. A marca maior deste governo é o parcelamento de salários. Aliás, todo funcionário público do Estado deve, ao ver Sartori, lembrar dos parcelamentos. Nada se aproxima desta marca, já que há quase três anos os salários são pagos de forma fracionada. Neste mês, os valores da primeira parcela são ainda menores que os anteriores. Isso descontenta os trabalhadores. Não satisfeitos, os professores deflagraram uma greve na terça-feira para tentar sensibilizar o governo.

Gasolina

Nas últimas semanas, o governo vem subindo o preço da gasolina quase que semanalmente. Só em setembro os aumentos passam de 10%. Ao contrário, o preço do petróleo se mantém estável nos últimos tempos, variando muito pouco. O normal seria o preço da gasolina também se manter estável, mas como o governo precisa fechar seus rombos aumenta o preço para aumentar a arrecadação. É nós pagando para manter os aliados!

Tornozeleiras

Em Brasília, foi inaugurado na segunda-feira um centro para vigiar condenados que usam tornozeleiras. Existe um custo para o monitoramento, que segundo matéria do SBT é em média de R$ 300,00 para cada preso.  Para que essa despesa não fique no bolso do contribuinte, o senador Paulo Bauer/SC apresentou um projeto para que o preso arque com os custos que envolvem o uso da tornozeleiras eletrônicas, pois segundo ele no país todo são gastos ao ano em tono de 25 milhões, pagos pelos estados e União. A proposta vai com o que tenho pregado aqui. Resta saber se será aprovada e qual o tempo que levará para ser votada.

Há esperanças?

Quando ouvimos notícias de muitas malas encontradas em um apartamento cheias de dinheiro do Gedel, que somam R$ 51 milhões de reais, de outros desvios nas obras da Olimpíada, Copa do Mundo e tudo mais que já se sabe em termos de corrupção, essa podridão que assola o Brasil, a gente perde por completo a credibilidade nos nossos políticos e governantes. Vivemos uma crise moral sem precedentes, já que muitos dos nossos políticos mais poderosos e de vários partidos, bem como uma considerável parcela dos altos membros do Judiciário estão totalmente desacreditados, com decisões no mínimo estranhas. Posso até ousar em dizer que, nas últimas décadas, praticamente nada se fez em termos de obras públicas sem que houvesse desvios de verbas para políticos, partidos ou empresários. Neste contexto melancólico, o povo espera uma faxina total daqueles corruptos dos mais elevados poderes de nossa pátria. Esperamos que a Lava Jato e outras operações contra a corrupção, sigam firme até as últimas consequências, condenando todos que colaboraram para este caos que vivemos, numa roubalheira sem limites. Também queremos que os condenados cumpram na prisão as suas penas. Repito: na prisão, nada de prisão domiciliar em mansões de luxo que foram roubadas com dinheiro do povo. Nós do povo também temos que reagir, precisamos fazer uma varredura nestes velhos figurões que sempre estão lá em busca do que não lhes pertence. Na verdade o povo é muito pacífico, já devia ter feito todos correr, mas como isso parece que não acontecerá, a arma que nos resta é o voto. Precisamos pensar o nosso voto, nada de fanatismos, pois alguns ídolos da política também não são honestos. Lembro que na órbita de um comandante seja ele municipal, estadual ou federal, gira todo tipo de informação. Isso significa que o chefe sabe de quase tudo. Portanto, mesmo que não leve nada físico para si, se houver omissão, permitindo desvios de verbas públicas, o chefe, no meu pensamento é tão corrupto como os demais. Concluo dizendo que hoje eu já sei em quem não devo votar e que meu voto será muito bem pensado para fazer este país se unir em torno do bem de todos.

Seleção

A gente sempre torce para o nosso selecionado de futebol vencer. É algo natural. Acontece que o empate ocorrido na terça e talvez mais um ou dois resultados que não sejam vitória, podem ser bons para o Brasil na Copa do Mundo, na Rússia.  Digo isso porque sempre que o Brasil foi a uma Copa como favorito, acabou decepcionando, isto é, voltando antes, sem título.  Penso que alguns maus resultados poderiam dar mais humildade ao time, pois quando se pensa por antecipação que já ganhou, vem a frustração. 

Representações BirckRepresentações Birck - 1 Filtros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck - 1 Representações Birck