Magazine RennerMieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015
Por Alberto Seibert. Publicado em 18/12/2017

Coluna do Beto

#

Músicas

Se tem um programa da Globo que eu sempre que posso assisto é o Altas Horas, do Serginho Groisman, aos sábados a noite. Ao assistir, já por várias vezes me dei em conta que estamos sendo alijados da cultura musical do restante do país, tendo em vista que aqui no Sul a música popular brasileira é pouco tocada. Aqui se prioriza a música gauchesca e a sertaneja. Nada contra, porém nossas rádios poderiam dar alguns horários para a cultura nacional, visto que músicas que fazem o maior sucesso no centro do país aqui nem sequer são conhecidas. Nossas emissoras, ao invés de rodar músicas internacionais, que na maioria das vezes não se entende o que divulga na letra, poderiam pensar ou divulgar o que o Brasil tem de melhor na música nacional.

Rótula

Apesar de existirem placas dando a preferencia para quem está dentro da nova rótula no cruzamento da Rua Dom Pedro II com a Rua Tenente Jung, ainda há alguns motoristas que passam por aquela rótula como se a preferencial  continuasse sendo a Dom Pedro II, visto que não reduzem a velocidade no local. É preciso que todos os veículos de comunicação façam sua parte, esclarecendo que no local deve ser diminuída a velocidade..

Previdência

Tenho a impressão que no governo Temer a reforma da Previdência está sepultada, pois na medida em que se adia para votar a reforma em 2018, menores são as chances de sua aprovação, dado o ano eleitoral.

Desigualdades

Nesta semana, os jornais brasileiros divulgaram que 55% da renda no Brasil fica com 1% da população. Essa tendência de aumentar os lucros e rendimentos de quem já tem muito não acontece só no Brasil, é uma tendência mundial. Estou longe de ser a favor de socialismo ou comunismo, mas também não aceito tudo que o capitalismo possibilita e nos prega, visto que essas desigualdades pioram ou castigam muito a vida da maioria e privilegia alguns. Se qualquer um de nós for abrir um negócio, ou seja, um empreendimento, terá que pagar todas as taxas, impostos, vistorias etc. Enquanto isso, os empreendimentos dos mais ricos conseguem isenções de milhões ou até bilhões, como é o caso em que nosso governo fez para abrir as portas para petrolíferas do mundo poder atuar aqui. Com certeza todos gostaríamos que os recursos do mundo fossem melhor distribuídos, mas Infelizmente essa é a realidade. Aliás, descrita na parábola dos talentos, pois ela afirma que  àquele que tem mais lhe será dado e que daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado.

Mundial I

O jogo do Grêmio diante do Pachuca no tempo normal foi muito equilibrado, onde ambos tiveram poucas oportunidades. Durante a transmissão da Globo, foram vários os comentários sobre o tamanho do goleiro da equipe mexicana, que é baixo, algo que no futebol moderno não se admite. Para mim, um goleiro daquele tamanho no futebol de campo é coisa de amador. Foi justamente sobre o goleiro baixo que o Grêmio fez seu gol na prorrogação.  Vi e revi várias vezes o gol, sendo que a bola passou muito perto da mão do goleiro, algo que estimo entre 5 e 10 cm. Se o goleiro fosse do tamanho do Grohe (1,88m) ou da média dos goleiros brasileiros, a bola seria defendida. O incrível é que o futebol mexicano apanha, apanha e não aprende. Aliás, o normal é que no erro é que se mais aprende, mas com eles é diferente. Após o gol, o Grêmio deitou e rolou, podendo ter ampliado.

Mundial II

Na minha visão o Grêmio não jogou bem diante do Pachuca. Os mexicanos nunca foram páreo para o futebol brasileiro, com poucas exceções. Esse jogar mal poderia ser um trunfo para bater o poderoso Real Madrid, porém os espanhóis também jogaram pouco diante do fraquíssimo Al Jazira. Voltando ao jogo do Grêmio, penso que a vitória veio mais na estratégia do que no futebol, visto que esperou o desgaste físico do Pachuca para dar o golpe fatal. Contra o Real o Renato terá que ser mais uma vez estrategista, pois não poderá se atirar para cima dos espanhóis, sob pena de levar gol logo. Com certeza, o jogo vai ser nervoso, onde eu penso que qualquer um dos dois pode ganhar e também não acredito em favoritismo do clube madrilenho. Na bola e em decisão não tem favorito. 

Imobiliária Cerro AzulRepresentações BirckRepresentações Birck - 1 Cotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaRepresentações Birck - 1 Representações BirckImobiliária Cerro Azul