Magazine RennerMieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015Mieth Madeiras
Por Donato Heinen. Publicado em 16/05/2018

Notas e Apartes nº 1.251

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 16-5-18


  Venezuela – Mais uma vez transcrevo trecho da coluna publicada no dia 6-12-2006: “Estive em Caracas em janeiro e falei com muitas pessoas. A maioria, fanáticos pelo presidente. Escrevi à época e repito: o povo venezuelano vai sofrer muito no dia que acordar do sonho e ver que na verdade está vivendo um pesadelo”. 

Fome – Esta semana, o jornalista Eduardo Gabardo, da RBS de Porto Alegre, que acompanhou a delegação do Grêmio na Venezuela, trouxe informações que ilustram bem o pesadelo que a maioria dos venezuelanos enfrenta. Ele estava em Maturín, capital do Estado de Monagas, onde visitou alguns supermercados. Segundo o jornalista, a situação é dramática. Em três supermercados da cidade ele tentou comprar itens básicos, como água, mas não conseguiu em nenhum deles. A situação é dramática e pode ser resumida em algumas palavras: filas, falta de alimentos, prateleiras vazias e insatisfação das pessoas. Passei por diversos locais, como supermercados, farmácias e bancos. Em todos a situação é parecida. Filas grandes e falta de produtos”, relata Gabardo. 

  Socialismo – Este é o retrato perfeito de como funciona o socialismo/comunismo, onde o governo comanda tudo, desde os meios de produção, distribuição, consumo. Enfim, rege a vida das pessoas, tolhendo sua liberdade de produzir, de agir, de se manifestar. Por isso, ele não dá, nunca deu e jamais vai dar certo em qualquer lugar do mundo. O socialismo/comunismo funciona enquanto dura o dinheiro... dos outros. Tem um ditado que ilustra bem a questão: “comunista feliz é comunista que não vive em país comunista”.

  Modelo – Para a esquerda brasileira, a Venezuela é um país democrático e serve de exemplo para o Brasil. Concordo. Modelo de como NÃO SE DEVE GOVERNAR um país. A miséria cresce a olhos vistos. Em 2006, quando estive em Caracas, e 2015, ao visitar Santa Helena, vi pessoalmente as condições em que o povo vivia já naquela época. Hoje, a situação de miséria se agrava a cada dia que passa. E boa parte dessa conta é paga por nós, pois milhares de venezuelanos famintos invadem o Brasil a cada semana, ultrapassando as fronteiras em Roraima.

  Reações – No final da última semana e no início desta, tivemos quatro ocorrências de assaltos envolvendo policiais no centro do país. Segundo a lei, policial não só tem o direito mas também o dever de reagir e enfrentar o bandido em caso de agressão atual ou iminente contra si ou terceiros. Foi o que aconteceu. Em três casos, os assaltantes foram mortos. Em outro, um policial federal morreu em confronto dentro da própria casa.

  Elogios – A maioria da população que se manifestou em redes sociais elogiou as atitudes das forças policiais. Mas diversos políticos da esquerda fizeram críticas, lamentando as mortes desses bandidos. Um absurdo! Uma total inversão de valores. Queria ver a reação dessa gente se eles ou algum familiar seu fossem vítimas da bandidagem. Certamente mudariam de opinião rapidamente. Algumas manifestações em favor da bandidagem chegam a causar ASCO nas pessoas de bem.

  GRENAL - Inter jogou retrancado. Objetivo de não levar gol no GRENAL de sábado foi alcançado. Mesmo sendo muito superior e tendo a posse de bola durante 2/3 do jogo, o Tricolor não conseguiu converter essa vantagem em gol. Arbitragem prejudicou o Grêmio, que certamente teria ganho o clássico se isso não tivesse ocorrido. Decorridas apenas 5 rodadas, o Colorado está apenas um ponto acima da zona de rebaixamento. Trauma da Segunda Divisão se manifesta cedo este ano.

Chuva – Em boa hora, a chuva voltou à região esta semana. Já não era sem tempo. Agricultores agradecem.

  Donato Heinen

 
Imobiliária Cerro AzulRepresentações BirckRepresentações Birck - 1 Cotrio - LogomarcaSaldanha Prestadora de Serviços
Saldanha Prestadora de ServiçosCotrio - LogomarcaRepresentações Birck - 1 Representações BirckImobiliária Cerro Azul