Magazine RennerMieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015Mieth MadeirasGigabyte -
Por Donato Heinen. Publicado em 13/03/2019

Notas e Apartes nº 1.294

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 13-3-19

  

                                                                                                    De Túnis, Tunísia


Fez – Ainda na semana passada, na quarta-feira, visitei a famosa cidade de Fez, fundada em 789. Foi capital de Marrocos em várias oportunidades. Possui supostamente a mais antiga universidade do mundo, a Al Quaraouivine, criada no ano de 859, ainda em funcionamento. A Medina de Fez (cidade velha) – é cheia de labirintos. Precisa ter muito senso de orientação pra não se perder. A população da cidade é de 1,4 milhão de pessoas.

Novela – Já fui noveleiro, admito. Em 2001, assisti O Clone, na Globo. Dezenas de capítulos foram filmados no Marrocos, principalmente na Medina de Fez. Entre esses locais, está o mercado de peles. Lá, foram gravadas muitas cenas de O Clone.

Peles – O cheiro é forte no local onde são feitos o curtimento, tintura com cores naturais, o secamento e a industrialização de peles de cabra, camelo, cordeiro etc. Por cerca de 130 dólares, pode-se comprar uma bela jaqueta de couro da melhor qualidade em uma das inúmeras lojas do entorno.

Marrakech – Com cerca de 930 mil habitantes, Marrakech é uma cidade do Marrocos que fica no centro-sudoeste do país, perto do sopé norte da cordilheira do Alto Atlas, sendo conhecida como a Cidade Vermelha ou a Pérola do Sul. Visitei Marrakech rapidamente na quinta-feira, percorrendo a pé as ruelas e becos da cidade velha (medina).

Logística – As conexões do Brasil para a África são um tanto complicadas. Para visitar Marrocos e Tunísia, na África, e Albânia, Montenegro, Macedônica e Kosovo, no Leste Europeu, comprei passagens em segmentos. Ida e volta de Porto Alegre a Casablanca, via Roma. Casablanca a Túnis, via Paris. E Túnis a Tirana, capital da Albânia, via Roma. Nos deslocamentos aqui na região, é uma maratona. Embora distante de Casablanca cerca de 1.653 km, para ir a Túnis fiz conexão em Paris (1.890 km), mais 1.484 km até a capital da Tunísia. Assim, em vez dos 1.653 km, percorri 3.374 km com a conexão na capital francesa. Não há vôos diretos.

Cotação – Faz alguns anos, a Tunísia cortou três zeros da moeda. Hoje, um dinar equivale a cerca de R$ 1,27. Os preços da maioria das mercadorias e serviços são mais baratos do que no Brasil. Já em comparação ao Marrocos, também são menores. Exceto em alguns itens, como hotel e aluguel de carro – que aqui custam o dobro do que no Marrocos.

Túnis – São cerca de dois milhões de pessoas vivendo na região metropolitana – dos quais 730 mil na capital da Tunísia. A cidade fica localizada num grande golfo do Mar Mediterrâneo. Situada no centro, a almedina de Túnis é patrimônio mundial da UNESCO desde 1979. Já a chamada cidade moderna inicia no Portão do Mar, onde muitos edifícios da era colonial contrastam com estruturas de menor porte, sendo cortada pela Avenida Bourguiba.

Turistas – Turistas estrangeiros são vistos em pequeno número no Norte da África. Brasileiros, então, é raro encontrar. Aqui em Túnis, no hotel, conheci Wagner Morais, solteiro, administrador, 54 anos, um mineiro que está viajando nesta região do mundo desde o dia 27-12-18. O roteiro atual dele se estende por cerca de três meses. Wagner é meu entrevistado no Cidade Alerta, que vai ao ar pela Regional de Santo Cristo a partir das 9h30min desse sábado.

Donato Heinen

 
Representações BirckRepresentações Birck - 1 Filtros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck - 1 Representações Birck