Magazine RennerMieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015Mieth MadeirasConstinta
Por Donato Heinen. Publicado em 19/06/2019

Notas e Apartes nº 1.307

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 12-6-19


  Invasão – Hackers invadiram celulares de diversas autoridades ligadas à Operação Lava-Jato. O ex-juiz federal Sérgio Moro e procuradores da República estão entre as vítimas desse crime. Conversas foram acessadas e divulgadas em um site denominado The Intercept Brasil, comandado por um notório jornalista comunista norte-americano chamado Glenn Greenwald – casado com o brasileiro David Miranda –, casualmente suplente do deputado comunista Jean Wyllys (PSOL). Glenn é o braço cibernético de notórios ladrões já condenados na Lava-Jato. Essa gente é capaz de tudo para que a bandidagem continue se locupletando de recursos públicos do sofrido povo brasileiro.

Diálogos – Vários especialistas no assunto analisaram as conversas das autoridades da Lava-Jato obtidas criminosamente e vazadas pelo site Intercept. Segundo eles, não houve nenhum crime cometido pelos interlocutores. Apenas trocas de informações e estratégias para conduzir os processos da melhor forma possível para fazer justiça. Segundo o procurador da República Deltan Dallagnol, hackers se passaram por procuradores após a invasão de celulares.

Provas – As provas que embasaram as condenações de dezenas de ladrões, entre eles o maior da história do Brasil, são robustas. No caso do ex-presidente Lula, ele foi condenado em um dos processos, por UNANIMIDADE, por nove juízes, do primeiro ao terceiro graus. A defesa do ex-presidente já interpôs dezenas de recursos em todas as instâncias, principalmente no Supremo. E todos os recursos julgados até agora foram improcedentes. Lula, Cunha, Zé Dirceu e outros ladrões de dinheiro público não vão “largar o osso” facilmente.

Nebuloso – Ainda tem muitas questões nebulosas no caso do suposto estupro que teria sido praticado em Paris no dia 15 de maio pelo jogador Neymar, contra a modelo Najila Mendes de Souza. As declarações dela à polícia são cada vez mais contraditórias. A divulgação de parte de um vídeo gravado por Najila no quarto do hotel onde ela foi se encontrar com Neymar para fazer sexo, mostra que ela agrediu o atleta no segundo encontro. Mas não tem anjo nessa história.

Advogados – Najila alega que o vídeo – de cerca de sete minutos – estaria em um tablet que teria sido roubado de seu apartamento. Mas a perícia constatou que havia apenas impressões digitais dela e sua empregada na porta. A modelo também ameaçou o porteiro do prédio onde mora. Ele registrou queixa da ameaça na polícia na segunda-feira. Dois escritórios de advocacia que patrocinavam a causa da suposta vítima já deixaram o caso. Ou seja, ainda tem muita sombra na história contada por Najila. E a Justiça certamente vai esclarecer o caso em seu devido tempo.

O assassinato de Rhuan – Um menino de nove anos de idade foi brutalmente assassinado, no início do mês, pela própria mãe e sua companheira, na cidade de Samambaia, DF. Bem antes de matar Rhuan, as duas mulheres já haviam mutilado o menino cortando seu pênis e deixando seus cabelos crescer com o objetivo dele virar “menina”. Tudo em nome da nefasta ideologia de gênero defendida pela esquerda, que prega que a criança não nasce menino ou menina, cabendo a ela a escolha do sexo. Em nome dessa ideologia, o casal de mulheres cometeu essa atrocidade contra o próprio filho de uma delas.

Donato Heinen

 
Representações BirckRepresentações Birck - 1 Cotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaRepresentações Birck - 1 Representações Birck