Magazine RennerMieth MadeirasMieth MadeirasConstinta
Por Donato Heinen. Publicado em 06/11/2019

Notas e Apartes nº 1.328

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 6-11-19


Mau jornalismo – O noticiário tendencioso da Rede Globo está fazendo com que a emissora perca cada vez mais audiência. Milhões de pessoas já não sintonizam mais a emissora. E a popularização das redes sociais também tem um peso significativo nisso. Através delas, as pessoas têm cada vez mais acesso a informações sob outra ótica que não a das linhas editoriais dos grandes veículos de comunicação. Os sucessivos ataques ao governo federal também estão afastando vários anunciantes, que estão deixando de veicular publicidade na Globo.

Verbas – Como já foi amplamente divulgado, o governo Bolsonaro deixou de repassar bilhões de reais aos grandes veículos de comunicação. A Globo era a maior beneficiária.. Ao contrário do que vinha ocorrendo nos governos anteriores, principalmente de Lula e Dilma. Eram essas polpudas verbas publicitárias que faziam a emissora dos Marinho, entre outros veículos, falar bem dos governos anteriores a qualquer custo e ao mesmo tempo esconder muitas informações relacionadas à corrupção. Como a fonte secou, os ataques ao presidente e seu governo são praticamente diários.

  Marielle – Como entender que a morte de uma obscura e desconhecida vereadora do PSOL do Rio de Janeiro esteja sendo exaustivamente explorada para tentar atingir o presidente da República e pessoas que o cercam? Ao tentar mais uma vez vincular Bolsonaro ao assassinato da vereadora, no JN do dia 29 de outubro, a Globo foi desmascarada e veementemente criticada. Enquanto isso, a grande imprensa não questiona quem mandou matar Bolsonaro e, principalmente, quem está financiado os 4 advogados que prontamente se apresentaram para defender Adélio Bispo, que no dia 6-9-18 tentou assassinar o então candidato a presidente da República.

Enfoque – A crítica acerca da reportagem do Jornal Nacional do dia 29 não é pelo fato de a Globo ter veiculado aquela notícia. Mas a forma como o fez. Na chamada, enfatizou que um porteiro do condomínio onde mora o presidente teria ligado para a casa de Bolsonaro e informado ao Seu Jair que um acusado de matar a vereadora estaria indo até a casa 58, residência do presidente. Ao mesmo tempo, a própria emissora anunciou que Bolsonaro estava em Brasília no mesmo dia. O normal teria sido enfatizar na chamada do JN que Bolsonaro fora vítima de uma armação de alguém ao dizer que havia falado com ele por interfone no mesmo dia e hora que o então deputado federal estava no plenário da Câmara, a cerca de 1.200 km de distância, em Brasília.

Inimigos – O presidente e seus filhos vêem inimigos por todo lado. O clima de beligerância é permanente. Não só com a imprensa, mas com os mais diversos setores. E isso não é bom. Entendo que eles deveriam moderar e assim estariam promovendo as coisas boas do governo, principalmente no setor de infraestrutura. Uma pena, pois esse clima de enfrentamento está afastando muitos eleitores que votaram em Bolsonaro porque viam nele a única alternativa de impedir a vitória daqueles que faliram com a economia do país e estavam levando o Brasil a passos céleres rumo ao socialismo/comunismo.

  Agradecimento – Faço este registro para agradecer, entre outros, principalmente a estes quatro leitores da coluna, fãs incondicionais dos meus escritos. Celso Backes, natural de Santo Cristo e comerciante em Carazinho, Léo Taurio Oppermann, de Três Passos, Ivo Dani, de Santa Rosa, e Bertilo Steffen, natural de Santo Cristo e residente em Santa Maria. São fiéis leitores que praticamente todas as semanas tecem comentários via e-mail sobre as colunas. Grato pela deferência.

Donato Heinen

 
Representações BirckRepresentações Birck - 1 Cotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaRepresentações Birck - 1 Representações Birck