Magazine RennerMieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015Mieth MadeirasGigabyte -
Por Donato Heinen. Publicado em 19/03/2019 as 20:31:50

Trump apoia a ideia do Brasil se tornar membro da Otan

Trump apoia a ideia do Brasil se tornar membro da Otan Presidente norte-americano e Jair Bolsonaro concederam entrevista nos jardins da Casa Branca


air Bolsonaro e Donald Trump na Casa Branca | Foto: Jim Watson / AFP / CP

Após a reunião no Salão Oval, da Casa Branca, Donald Trump e Jair Bolsonaro saíram para uma rápida entrevista coletiva nos jardins da Casa Branca. O presidente norte-americano inciou seu discurso parabenizando Bolsonaro pela expressiva vitória nas eleições e destacou a rápida recuperação após o atentado que sofreu, quando foi esfaqueado durante a campanha eleitoral. Trump aproveitou para dizer que pretende designar o Brasil como um grande aliado não integrante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). "Eu pretendo designar o Brasil como um grande aliado não integrante da Otan ou mesmo possivelmente, se começarmos a pensar nisso, talvez um aliado da Otan. Tenho que conversar com muita gente, mas talvez um aliado da Otan, o que seria um grande avanço na segurança e cooperação entre nossos países."

Trump ainda lembrou que os Estados Unidos foram o primeiro país a reconhecer a independência do Brasil, em 1822, e disse que o Brasil e os Estados Unidos são as duas maiores democracias e as duas maiores economias do hemisfério ocidental. 

Bolsonaro abriu seu discurso agradecendo a recepção dos Estados Unidos e convidando Trump a visitar o Brasil. "Será muito bem recebido", afirmou. "É hora de superar as diferenças. Hoje, o Brasil tem presidente que não é antiamericano. O apoio americano à entrada do Brasil na OCDE será compreendido como um gesto de união", acrescentou o presidente brasileiro em coletiva de imprensa. Segundo Bolsonaro, a cooperação militar também tem se ampliado. "O combate ao terrorismo e crime organizado é questão de urgência. O restabelecimento da democracia na Venezuela é de interesse dos dois países", disse.

Cooperação militar

Na segunda, o Brasil e os Estados Unidos assinaram o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), que permite o uso comercial da base de Alcântara. Trump agradeceu "a parceria do Brasil para revitalizar a posição especial americana", acrescentando que "estamos finalizando salvaguardas tecnológicas por lançamentos especiais". E afirmou que, graças à localidade da base de Alcântara, no Maranhão, "economizaremos muito dinheiro". 

Bolsonaro reiterou que foram feitas alianças com os Estados Unidos, com destaque para a área de energia, que merecerá um fórum especial. "Hoje destravamos assuntos que estavam na pauta há décadas e abrimos novas frentes de cooperação", completou. O presidente da República citou a isenção de visto para americanos como uma ação para estimular o turismo e novos negócios, além de demonstrar a boa relação estabelecida. No final do seu discurso, citou o ex-presidente americano Ronald Reagan: "O povo deve dizer o que o governo deve fazer e não o contrário".

Eleições 2020

Questionado se manteria relações com os Estados Unidos, em uma eventual vitória de um candidato à presidência da República, em 2020, com inclinações socialistas, Bolsonaro disse que respeitaria o resultado das eleições, pois se trata de um assunto interno. Bem-humorado, afirmou estar convencido que Trump será reeleito. O norte-americano agradeceu entre sorrisos. Ao lado de Trump, Bolsonaro celebrou a redução do número de governos socialistas no mundo. Segundo ele, pela "via democrática", o Brasil se "livrou desse projeto", referindo-se ao socialismo.

"Cada dia que passa essas pessoas mais voltadas para o socialismo e até mesmo para o comunismo, aos poucos vão abrindo suas mentes para a realidade." O presidente brasileiro reiterou a disposição em manter o intenso comércio com a China e o máximo de parceiros. Porém, ressaltou que não haverá viés ideológico. "O Brasil continuará fazendo negócios com o maior número o possível de parceiros. Apenas não será pelo viés ideológico."

Por fim, voltou a falar em América e Brasil grande: "Que Deus abençoe o Brasil e que Deus abençoe os Estados Unidos da América. "Encerro dizendo que o Brasil e EUA também estão juntos na garantia das liberdades, no respeito da família tradicional, no temor à Deus, nosso criador, contra a ideologia de gênero, o politicamente correto e as fake news." 

Correio do Povo


Nome:

E-mail:

Comentário:

Cidade:


Comentários


Representações BirckRepresentações Birck - 1 Filtros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck - 1 Representações Birck