Mieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015
Por Grande Santa Rosa Notícias. Publicado em 14/05/2022 as 01:06:59

Bolsonaro diz que "marginais em gabinetes" querem roubar liberdade

Chefe do Executivo federal pediu união entre o Exército e as forças auxiliares, que são as polícias militares e os corpos de bombeiros


Em discurso realizado nesta sexta-feira, em São Paulo, durante formatura na Academia de Polícia Militar do Barro Branco, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que "marginais do passado", também "em gabinetes com ar-condicionado", querem "roubar nossa liberdade". Embora não tenha citado nomes em seu discurso, o presidente tem criticado com frequência o Supremo Tribunal Federal por decisões que tentam evitar a propagação de fake news e de ataques às intituições democráticas. 

O chefe do Executivo citou a necessidade de uma eventual união entre as Forças Armadas e as "forças auxiliares" em torno do assunto. De acordo com a Constituição, as polícias militares e os corpos de bombeiros militares são as forças auxiliares do Exército. "No passado, sempre as Forças Armadas e as forças auxiliares estiveram juntas. Lá atrás, nos anos 70, não foi diferente. Os grandes inimigos nossos eram aqueles que queriam roubar não o nosso patrimônio, mas roubar a nossa liberdade", disse.

Após citar ameaças do passado, Bolsonaro afirmou que o risco ainda existe, sem ter deixado claro sobre quais fatos estava tratando. "Hoje, não é diferente. Nós, pessoas de bem, civis e militares, precisamos de todos para garantir a nossa liberdade. Porque os marginais do passado hoje usam de outras armas, também em gabinetes, com ar-condicionado, visando roubar a nossa liberdade. E começam roubando a nossa liberdade de expressão, começam fustigando as pessoas de bem, fazendo com que elas desistam do seu propósito", afirmou 

"Nós, Forças Armadas, nós, forças auxiliares, não deixaremos que isso aconteça. Nós defendemos a nossa Constituição, a nossa democracia e a nossa liberdade. Esse exército de pessoas de bem, civis e militares, deve se unir para evitar que roubem a nossa liberdade”, completou o presidente.

As declarações ocorrem em meio a uma escalada de crises entre o STF e o Executivo federal. O ministro Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou, também nesta sexta-feira, que é necessário proteger a democracia.

Na última quinta-feira, Bolsonaro criticou a declaração dada por Fachin, de que, no Brasil, "quem trata de eleições são forças desarmadas". O presidente da República afirmou que o ministro foi "descortês" e que ele não deveria ter receio da participação dos militares no processo eleitoral 

R7 


Nome:

E-mail:

Comentário:

Cidade:


Comentários


Representações BirckFiltros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck