Banner Tchê Milk - 14-10-22Supermercado Kramer - 8-2-23VALUPI Fitness Academia
Por Grande Santa Rosa Notícias. Publicado em 19/05/2024 as 12:36:57

Opção ideológica e burra: como o grupo dos sete gaúchos que votou contra seu próprio Estado vai sobreviver na nossa política?

A oposição vai deitar e rolar


A desgraça dos gaúchos não têm fim! Depois de serem assolados pela mais trágica e devastadora tragédia desde pelo menos meados do século passado, com uma destruição raramente vista em uma região tão grande em todo o Planeta, os moradores dos pampas precisam agora enfrentar outra praga: a da política/ideológica. 

As fake news, por exemplo, têm um lado tentando acusar o outro de monstruosidades. Elas abundam nas redes sociais. Os sites que vivem de verbas oficiais e que querem apontar as inverdades de algumas das fake news, mentem mais do que elas, tentando desmentir o indesmentível. Querendo apenas atingir adversários ideológicos, um lado e outro apelam para todas as coisas que a gauchada chama de “barbaridade”!  

O confronto político chegou ao Congresso com força, ao ponto de deputados gaúchos de esquerda (seis petistas, um pedetista), aceitaram correr o risco de terem eternamente o ódio dos seus compatriotas do Estado, ao votarem contra uma proposta de anistia geral da dívida do Rio Grande do Sul para com a União, hoje em torno de 98 bilhões de reais. 

O direitista Marcel Van Hattem foi esperto, trazendo para si os louros da proposta, mas a medida, só porque partiu de um inimigo político, teve os votos contrários dos idiotas do PT e de um do PDT. Morderam a isca, se transformando, agora, em alvo da imensa maioria da opinião pública não só do Rio Grande, mas de todo o país, com sua população mobilizada e dando um show de solidariedade com o povo sul rio-grandense. 

Van Hattem certamente sabia que sua proposta de anistia total não iria passar, porque isso implicaria numa renúncia fiscal histórica e poderia se tronar um benefício exigido por todos os demais estados. Mas os esquerdistas, todos experientes, cometeram o erro primário de cair na armadilha, preferindo ter contra si tudo o que vão ouvir e perder daqui para a frente, do que dar o gosto de votar numa proposta do seu maior inimigo ideológico.

Idiotas, na mais pura acepção da palavra. Escravos da sua ideologia. O projeto, aprovado por ampla maioria (apenas dois deputados de outros estados votaram contra e assim mesmo por terem errado na hora de votar), prevê um congelamento da dívida por três anos. Obviamente, o projeto do bom senso. Mas, depois dele, a história vai ser dura com os deputados petistas Maria do Rosário, Dionilson Marcon, Alexandre Lindenmeyer, Denise Pessoa, Elvino Bohn Gass e Reginete Bispo, além do pedetista Afonso Motta. Vão ser acusados, agora, de traidores do povo gaúcho. A oposição vai deitar e rolar. A tragédia, as mortes, a fome, a devastação, tudo ficará em segundo plano. Agora, o Grupo dos Sete é que se tornará o dos grandes inimigos. Nossa política continua criando cada vez mais burros e cada vez mais espertos.

 Lamentável! 

Sérgio Pires 


Nome:

E-mail:

Comentário:

Cidade:


Comentários


Representações BirckFiltros Europa
Filtros EuropaRepresentações Birck