Mieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015
Por Donato Heinen. Publicado em 14/04/2021

Notas e Apartes nº 1.401

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 14-4-21


Kajuru – O polêmico senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) aprontou mais uma. Ligou para Jair Bolsonaro no sábado e gravou a conversa sem o conhecimento do presidente da República. O senador divulgou parte da conversa em suas redes sociais, de onde o diálogo se disseminou via imprensa. Kajuru é um dos autores do pedido de CPI para investigar eventuais responsabilidades do governo federal na gestão da pandemia do novo coronavírus. Não há nada comprometedor no que se refere ao que o presidente falou durante a conversa. Ah, pra quem não sabe, Kajuru já foi filiado ao PSOL e eleitor de Lula.

Investigação – A perseguição contra o governo federal é tamanha que no Brasil atual se pretende investigar quem destinou centenas de bilhões de reais para a saúde durante a pandemia em vez de investigar governadores e prefeitos que desviaram bilhões desse dinheiro. Diante da reação do governo e da opinião pública, agora Kajuru diz que aqueles que realmente se apropriaram do dinheiro público também devem ser investigados. Por que, então, a investigação contra os ladrões não foi incluída no requerimento inicial da CPI? E a reação foi além. O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) já conseguiu 37 assinaturas – 10 a mais que o necessário, para criar mais uma CPI. Esta, para investigar governador e prefeitos.

  Bandeiras – A partir de maio de 2020, o governo do RS instituiu regras a serem adotadas conforme a cor da bandeira de cada região do Estado com relação ao funcionamento da maioria das atividades. A bandeira preta é a mais restritiva e foi adotada pela primeira vez a partir do dia 27 de fevereiro. Durante as três semanas seguintes, as atividades consideradas não essenciais foram proibidas. E liberadas com restrições nas três semanas posteriores. Novas medidas um pouco menos restritivas entraram em vigor no último sábado, dia 10.

Óbitos – No site https://ti.saude.rs.gov.br/covid19/ podem ser encontrados dados relacionados ao covid-19 no Estado. Dentre eles, o número diário de óbitos. Pois bem, fiz um levantamento e verifiquei que entre os dias 5 e 26 de fevereiro – nas três semanas anteriores à adoção da bandeira preta, ocorreram 1.450 óbitos por covid-19 no RS. Já entre 27 de fevereiro e 19 de março, nas três semanas em que vigoraram as MAIORES RESTRIÇÕES, tivemos 5.068 óbitos pela mesma doença. E nas últimas três semanas, entre os dias 20 de março e 9 de abril, ocorreram 4.293 mortes. Ou seja, justamente nas três semanas em que houve a MAIOR RESTRIÇÃO com o fechamento de dezenas de milhares de atividades, ocorreram 775 mortes a MAIS do que nas semanas posteriores, com MENOS restrições.

Prazo – É sabido que a doença demora alguns dias para se manifestar. Mesmo assim, chama atenção o fato do maior número de óbitos ter sido registrado justamente no período de MAIOR restrição à circulação de pessoas com o fechamento do comércio “não essencial”. O que leva a crer que as três semanas de MAIORES restrições serviram mesmo para causar a falência de milhares de pequenos estabelecimentos.

Zero – Em dezenas de municípios gaúchos, e centenas no país, não ocorreu qualquer óbito por covid-19 até agora. Na região, até ontem, Porto Lucena não registrou morte. Já em Alegria e Cândido Godói, ocorreu um óbito em cada município. Em Santo Cristo, houve 18 vítimas fatais, ante 115 em Santa Rosa.

Tratamento – Cresce o número de municípios onde o cidadão tem acesso aos tratamentos preventivo e precoce contra covid-19. Santa Rosa deve ser um dos próximos. Publicamente, toma quem quer. Já aqueles que são contra, tomam às escondidas quando o medo de morrer bate à porta.

  Palpite – Ciro Gomes (PDT) para presidente da República e Eduardo Leite (PSDB) vice, em 2022. Chapa da esquerda para tentar superar Lula e chegar ao 2º turno. Só acho.

    Donato Heinen

 
Representações BirckFiltros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck