Mieth MadeirasBlumen Platz Center - Outubro de 2015
Por Donato Heinen. Publicado em 05/05/2021

Notas e Apartes nº 1.404

Coluna publicada no jornal Gazeta Regional de 5-5-21


CEF – Desde que assumiu a presidência da Caixa, Pedro Guimarães vem fazendo uma ótima gestão. A corrupção que antes reinava – vale lembra os R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em um apartamento de Geddel Vieira Lima, ex-presidente da CEF –, não existe mais. Com uma administração sem ingerências políticas, a Caixa vem obtendo excelentes resultados. Apenas em 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro, o lucro da CEF foi maior do que nos 8 anos de FHC e 8 anos de Lula. Somados! 

Juros – Mas o dado mais importante é que os juros cobrados dos tomadores são MENORES do que nos governos anteriores. E os maiores destinatários dos recursos são as pessoas humildes. Centenas de milhões de reais antes destinados a patrocinar clubes de futebol foram cortados. Agora, cem milhões de reais devem ser investidos no patrocínio de reservas ambientais. Guimarães fez uma projeção: o resultado financeiro positivo da CEF nos 4 anos do atual governo deve superar o lucro que e Caixa obteve na soma total dos 158 anos anteriores, desde a sua criação.

1º de Maio – Dedicado ao Dia do Trabalho, e não do Trabalhador, como muitas pessoas, inclusive da grande mídia se referem, o 1º de Maio tem servido ao longo de décadas como uma data de realização de protestos. Especialmente contra os governos em diversos níveis. Mas este ano, ocorreu algo jamais visto no 1º de Maio. Milhões de pessoas foram às ruas nas capitais e centenas de outras cidades para dar seu apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro. A principal reivindicação é ter acesso ao trabalho como maneira digna de levar o pão de cada à mesa. Bolsonaro tem sido uma voz quase isolada no meio da administração pública dizendo que é preciso combater a pandemia, mas não podemos esquecer o emprego e a renda para as famílias.

Mídia – As manifestações foram tão expressivas que até a velha mídia se viu obrigada a noticiar. Mas o correspondente de uma TV da Argentina se superou. Enquanto o canal exibia imagens ao vivo de SP e RJ, com multidões com faixas e bandeiras a favor do governo, o repórter informava que eram manifestações CONTRA Jair Bolsonaro. E na tela da TV aparecia a manchete: “Marchas em Brasil contra Bolsonaro”. Como se vê, não é só por aqui que a velha mídia perdeu completamente a credibilidade. E a vergonha.

Projeto de lei – O PL 4.754/16, que tramita na Câmara dos Deputados, tipifica como crime de responsabilidade a usurpação de competência pelos ministros do STF. Conforme o PL, a usurpação ocorre quando ministros do Supremo invadem o espaço do Parlamento previsto na Constituição. O objetivo é combater o ativismo judicial, que é usado pelo Judiciário para interferir nas ações dos demais poderes. Autora do projeto, a deputada Chris Tonietto (PSL-SC) disse que “no momento em que o presidente Jair Bolsonaro é classificado como ‘genocida’, nada acontece, mas quando os ministros do Supremo se sentem ofendidos, seus ‘inimigos’ são detidos usando um malabarismo retórico nunca antes visto na história do país”.

Venezuela – O governo de Nicolás Maduro anunciou, no feriado de 1º de Maio, aumento de 288,8% no salário mínimo, que passa para 7 MILHÕES de bolívares e equivale a 2,5 dólares. Além do salário, há uma gratificação de 3 milhões de bolívares. Com um salário mínimo não dá sequer para comprar um quilo de carne, que custa 3,75 dólares. Já o preço de uma caixa de 30 ovos é de 11 milhões, equivalente a 1,57 salário mínimo. 

Socialismo – O governo venezuelano serve de modelo para a esquerda brasileira. Assim como o argentino, que caminha a passos largos na mesma direção. A Argentina vive o maior lockdown do mundo desde março de 2020. A economia está um desastre. A pobreza, galopante. Se Haddad fosse nosso presidente, fácil prever que nossa situação seria idêntica à dos nossos vizinhos.  

Donato Heinen

 
Representações BirckFiltros EuropaCotrio - Logomarca
Cotrio - LogomarcaFiltros EuropaRepresentações Birck